Em vídeo vazado no WhatsApp, Wagner Pires de Sá critica Dedé e diz que zagueiro ‘é todo fodido’

Desde que renunciou ao cargo de presidente do Cruzeiro, no ano passado, após muita pressão da torcida, Wagner Pires de Sá tem sido interpelado por torcedores nas ruas de Belo Horizonte e algumas dessas conversas acabam sendo gravadas e vazam nas redes sociais. O mais recente desses diálogos vazados nas redes sociais aconteceu dentro de um carro, foi filmado – vídeo circulou nesta segunda-feira (17) – e o ex-dirigente da Raposa foi flagrado chamando o zagueiro Dedé de “Fodido”. 

O nome do zagueiro Dedé surgiu no momento em que Wagner e o suposto motorista do carro conversavam sobre salários dos atletas no futebol brasileiro, e o adjetivo dado ao jogador pelo ex-presidente celeste citava a condição médica do defensor, que passou por cirurgias importantes para resolver problemas no joelho. 

“São os jogadores. Como você pega um jogador ganhando R$ 1 milhão. Dedé ficou um ano e meio parado ganhando R$ 800 mil”, disse Wagner Pires – citando o período em que o zagueiro ficou em tratamento médico – quando foi interpelado pelo motorista.

“Mas quando ele ficou parado ele tava ganhando também, integral?”, perguntou o motorista do carro. 

“Claro, ué, não para de ganhar. Não é igual INSS não, o cara tá doente, vai pro INSS e ganha salário mínimo. Não! O time paga. Ele ganhou mais de R$ 50 milhões sem jogar. E se vender, não vende, primeiro porque ele é todo fudido e não passa no exame médico. Futebol brasileiro é isso”, comentou o ex-presidente do Cruzeiro. 

O diálogo ainda teve outras questões abordadas rapidamente, como por exemplo o novo teto salarial do clube estrelado e sobre o ex-vice-presidente de futebol cruzeirense Itair Machado.

De saída

Sem atuar em 2020, Dedé no começo do ano avisou ao novo departamento de futebol do Cruzeiro que não permaneceria no clube. O zagueiro não aceitou o acordo salarial proposto pela gestão que assinou o comando da Raposa após a saída de Wagner Pires de Sá. 

Dedé recebeu nos últimos dias autorização para 30 dias de licença. O atleta busca junto de seus empresários um novo lugar pra atuar nesta temporada. 

O defensor estava na mira de duas equipes chinesas, dentre essas o Wuhan Zall, da Primeira Divisão do país asiático. No entanto, a epidemia do coronavírus foi um impeditivo para o acerto.