Diretoria do Cruzeiro protocola pedido de anulação da suspensão de Dedé

Fotos: Divulgação / Cruzeiro

Poucas horas após o mundo do futebol se espantar com a expulsão injusta do zagueiro Dedé contra o Boca Juniors, a diretoria estrelada iniciou uma missão com o intuito de minimizar o prejuízo provocado pelo árbitro paraguaio Eber Aquino no jogo de ida das quartas de final da Copa Conmebol Libertadores, disputado no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.

Da capital argentina, o presidente Wagner Pires de Sá e o supervisor administrativo Benecy Queiroz partiram logo na manhã desta quinta-feira para Luque, no Paraguai, onde passaram o dia reunidos com a alta cúpula da Conmebol e representantes de diversos setores da entidade.

Após diversas reuniões produtivas nas últimas horas, o presidente Wagner Pires de Sá acionou vice-presidente jurídico do Cruzeiro, Dr. Fabiano de Oliveira Costa, e protocolou formalmente junto à entidade máxima do futebol sul-americano, no fim da tarde desta quinta-feira, o pedido de anulação dos efeitos decorrentes da aplicação do cartão vermelho dado ao jogador Dedé, solicitando que o atleta esteja apto para disputar a partida de volta, marcada para o dia 4 de outubro, no Mineirão.

Agora aguardando o desenrolar do processo e esperando por uma breve e justa resolução, Wagner Pires de Sá avaliou como bastante positiva a ida à Conmebol e disse ter sido muito bem recebido pelos seus representantes.

“Fiquei bastante satisfeito pela maneira com que fomos recebidos na Conmebol. Estamos indignados com tudo o que aconteceu ontem na Bombonera. Não podemos admitir que a decisão pessoal de um árbitro coloque em xeque um sistema tão avançado como o VAR, que vem para contribuir com os avanços do futebol mundial”, destacou o presidente celeste, que também informou ter recebido apoio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no pleito do Cruzeiro.