O confronto desta quarta-feira (7) entre Atlético x Fortaleza, marcado para 21h, no Castelão, colocará frente a frente dois treinadores que se conhecem muito bem, mesmo que jamais tenham trabalhados juntos: do lado alvinegro, o argentino Jorge Sampaoli; do lado tricolor, o ex-goleiro Rogério Ceni. Sobre a partida, o que se espera é um desenho tático bastante parecido. 

Considerado por muitos como melhor técnico do país na atualidade, o comandante atleticano abriu as portas do Sevilla, da Espanha, para o ídolo da torcida do Leão. Em 2016, quando ainda estagiava pela Europa, na transição de jogador para treinador, Ceni passou alguns dias vendo de perto a metodologia de Sampaoli.

“Eu o conheci. Ele foi ver treinamentos do Sevilla quando estava se preparando para ser técnico e tem muitas inquietudes, muitos desejos e muito entusiasmo para fazer coisas importantes pelo país. Então, é uma pessoa para acompanhar de perto, porque tem uma carreira muito importante pela frente”, comentou Sampaoli, em 2019, quando ainda era comandante do Santos.

Na época do ‘mini-estágio’, Rogério Ceni não escondeu o prazer de ter podido acompanhar in loco o trabalho do argentino, em solo espanhol.

“Para mim, é uma honra estar aqui. Tenho muita admiração pelo trabalho que Jorge Sampaoli fez na seleção do Chile e está fazendo aqui no Sevilla. Sempre gostei do estilo de jogo de suas equipes, agressivo e ofensivo o tempo todo. No futebol moderno, ele é um dos melhores, assim como Pep Guardiola, Jurgen Klopp. E, como pretendo continuar no futebol como treinador, achei que era importante vir aqui e observá-lo por alguns dias”, destacou Ceni, em outubro de 2016.

Já consolidado no mercado e com um belo trabalho desempenhado no Fortaleza, o ex-goleiro não mudou o discurso, quando perguntado sobre o argentino. Inclusive, nesta quarta, ele terá mais uma chance de derrotar o “professor”.

próximo artigoGuga revela ‘treinos-extras’ de pênaltis e diz que Sampaoli não deixará que haja relaxamento no Galo
Artigo seguintePesquisa mostra impactos da pandemia nos municípios brasileiros