Brasil estreia na AmeriCup de basquete masculino contra Canadá

O Brasil inicia nesta sexta-feira (2), a partir das 20h10 (horário de Brasília), a caminhada na AmeriCup, a Copa América de basquete masculino, com jogos no ginásio Geraldo Magalhães, o Geraldão, em Recife. O primeiro adversário será o Canadá.

Os brasileiros aparecem no Grupo A, que também reúne Uruguai e Colômbia, seleções que abrem a competição às 13h40 desta sexta. No sábado (3), novamente às 20h10, a equipe comandada por Gustavo de Conti encara os colombianos. A campanha na primeira fase chega ao fim na segunda-feira (5), no mesmo horário, contra os uruguaios.

São três grupos com quatro equipes em cada. Os dois primeiros avançam de fase, além dos dois melhores terceiros colocados. As quartas de final serão na próxima quinta-feira (8). As semifinais ocorrerão no dia 10, um sábado. A disputa pelo terceiro lugar (17h10) e a decisão (20h40) serão no dia seguinte, um domingo. As sete melhores seleções se classificam para os Jogos Pan-Americanos de Santiago (Chile), em 2023.

Tetracampeão, o Brasil não conquista o torneio desde 2009, quando bateu o anfitrião Porto Rico na final. O armador Marcelinho Huertas, do Tenerife (Espanha), capitão da atual seleção, fez parte do elenco que tinha nomes como Marcelinho Machado, Leandrinho e Anderson Varejão (todos eles já aposentados). Dois anos depois, na Argentina, a equipe verde e amarela foi vice-campeã, superada pelos donos da casa.

Nas edições seguintes, a seleção fez campanhas pífias. Em 2013 (Venezuela) e 2015 (México), os brasileiros ficaram em nono lugar, entre dez participantes. Na última Copa América, em 2017, disputada em territórios argentino, colombiano e uruguaio, a décima posição (entre 12 times), com um grupo reformulado em relação ao da Olimpíada do Rio de Janeiro, um ano antes, custou o lugar no Pan de Lima (Peru), em 2019, algo inédito.

O Brasil chega sob pressão para a competição, já que vem de três derrotas seguidas nas eliminatórias para a Copa do Mundo do ano que vem, que será disputada no Japão, nas Filipinas e na Indonésia. As mais recentes na abertura da segunda fase, para Porto Rico, há uma semana fora de casa, e México, na última segunda-feira (29) em Jaraguá do Sul (SC). Os brasileiros estão em terceiro lugar no Grupo F, entre seis equipes. Os três primeiros se garantem no Mundial. O quarto colocado precisar ter uma campanha melhor que a do quarto do Grupo E para se classificar.

A relação de jogadores que representará o país na AmeriCup foi revelada na quinta-feira (1). Em relação ao time derrotado pelo México, a novidade é a volta do ala/armador Vitor Benite, do Gran Canária (Espanha), que vinha sendo poupado por causa de uma inflamação no pé direito. Ele ficou com a vaga do ala/pivô Gabriel Jaú, do Flamengo.

“Sabemos de todas as dificuldades que vamos enfrentar, que o momento não é bom, mas que nosso grupo tem qualidade. E nada melhor do que um evento deste tamanho para nos recuperarmos. Será uma AmeriCup muito equilibrada, mas jogamos em casa, com apoio da torcida, e temos condições de fazer uma ótima competição”, comentou Benite ao site da Confederação Brasileira de Basquete (CBB).

Atuais campeões e maiores vencedores da AmeriCup, com sete títulos, os Estados Unidos despontam novamente como principais favoritos. A equipe, que figura no Grupo C, com México, Panamá e Venezuela, é composta, principalmente, por atletas da G-League, que reúne jogadores pouco aproveitados ou sem espaço nos elencos principais da NBA. Caso do ala Patrick McCaw, que defende o Delaware Blue Coats, afiliado ao Philadelphia 76ers, e já foi três vezes campeão do principal campeonato de basquete do mundo, por Golden State Warriors (2017 e 2018) e Toronto Raptors (2019).

Outra potência é a Argentina, vice na edição de 2017 e bicampeã do torneio. Os hermanos terão, no Brasil, veteranos como o ala Carlos Delfino, campeão olímpico nos Jogos de 2004, em Atenas (Grécia), e os armadores Facundo Campazzo e Nico Laprovittola, vice mundiais há três anos. A equipe, porém, teve uma mudança de última hora no comando, com o pedido de demissão do técnico Néstor García. Os argentinos, que estão no Grupo B, com Ilhas Virgens, Porto Rico e República Dominicana, serão dirigidos por Pablo Prigioni.

Os convocados do Brasil

Armadores: Yago Mateus (Ratio Ulm, da Alemanha), Marcelinho Huertas (Tenerife, da Espanha) e Rafa Luz (Andorra, da Espanha).

Alas/armadores: Georginho (Sesi Franca) e Vitor Benite (Gran Canária, da Espanha).

Alas: Didi Louzada (Portland Trail Blazers, dos Estados Unidos) e Léo Mendl (Urban Transylvania, da Romênia).

Alas/pivôs: Rafa Mineiro (Flamengo) e Lucas Dias (Sesi Franca).

Pivôs: Lucas Mariano (Sesi Franca), Augusto Lima (Unicaja Málaga, da Espanha) e Cristiano Felício (Granada, da Espanha).

Fonte: Agência Brasil

próximo artigoShopping Vale do Aço recebe exposição Natureza Gigante neste mês de setembro
Artigo seguintePrazo para autodeclaração de caminhoneiros é prorrogado para dia 12