Foto: Reprodução

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Carlos Horbach decidiu hoje (4) negar pedido feito por adversários para impedir a veiculação de uma entrevista do candidato à presidência  Jair Bolsonaro na TV Record, a partir de 22h.

No pedido, o PT, PSOL, MDB e o candidato a deputado federal Wadih Damus (PT-RJ) alegaram que a veiculação seria uma forma de dar tratamento privilegiado ao candidato e atentaria contra a Lei das Eleições.

No entendimento das legendas, enquanto os demais candidatos estiverem participando do debate entre os presidenciáveis, que será exibido pela TV Globo, no mesmo horário, Bolsonaro estará concedendo uma entrevista exclusiva à emissora.

Ao decidir a questão, o ministro entendeu que a medida seria uma forma de censura prévia, prática vedada pela Constituição.

“Impedir, por meio de decisão judicial, que uma emissora de televisão veicule toda e qualquer entrevista do candidato Jair Bolsonaro antes do primeiro turno das eleições, por quaisquer dos meios de comunicação (televisão aberta, televisão fechada, rádio e internet) seria manifesto ato de censura prévia, contrária à liberdade de imprensa, pressuposto fulcral do regime democrático”, decidiu Horbach.

próximo artigoExercícios físicos ajudam na prevenção e no tratamento do câncer de mama
Artigo seguinteMinistros do STF criticam propostas de nova Assembleia Constituinte
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários
Claudinei

TSE o candidato ao invés de ir ao debate junto com os demais ….o médico disse que ele estava de atestado e porque ele foi em outro debate vocês acham isso certo para mim isso é uma vergonha