Juro futuro volta às máximas, após queda pontual, em meio ao ajuste do dólar

    Imagem: Reprodução
    Os juros futuros voltaram a rondar as máximas, já registradas na abertura da sessão desta quarta-feira, 18, antes de as taxas terem perdido força pontualmente, em meio aos ajustes do dólar ante o real.

    Nesta manhã, o dólar quase zerou a alta intraday no mercado local, ao registrar mínima em R$ 3,8465 (+0,04%), ante máxima aos R$ 3,860 (+0,39%) após a abertura dos negócios. Um operador de uma corretora disse que houve venda de exportador em meio à perda de força da moeda americana ante divisas principais, em reação ao dado de moradias nos Estados Unidos bem pior que o esperado. As construções de moradias iniciadas caíram 12,3% em junho ante maio. A previsão era de -2,2%.

    Tanto no câmbio como no mercado de renda fixa, os investidores ajustam posições antes do depoimento do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos nesta manhã.

    Na terça-feira, Powell gerou otimismo ao reforçar a sinalização de gradualismo na condução do aperto da política monetária e destacou o bom desempenho da economia dos Estados Unidos, enfraquecendo o dólar para a casa dos R$ 3,84. Os contratos de Depósito Interfinanceiro (DI), de outro lado, bateram mínimas faltando poucos minutos para o encerramento da sessão regular, alinhados ao movimento da moeda americana.

    Internamente, os traders seguem monitorando a agenda política. Estão no radar, por exemplo, a participação dos presidenciáveis Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede) no Fórum de Mobilidade ANPTrilhos, em Brasília; as articulações do Centrão (DEM, PP, Solidariedade e PRB), que deve definir o candidato à Presidência que irá apoiar até sexta-feira; e o pré-candidato do PSL ao Palácio do Planalto, deputado Jair Bolsonaro (RJ), que pode anunciar nesta terça um general para compor sua chapa como candidato a vice. O nome mais forte é o do general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira (PRP), responsável pelo programa de governo do presidenciável na área de segurança pública.

    Com o objetivo de atrair o Centrão, Ciro Gomes (PDT) suavizou na terça-feira o discurso contra a reforma trabalhista. Em evento em São Paulo, o pré-candidato disse não ser contra a reforma, mas contra o texto proposto pelo governo Temer. De acordo com o economista Mauro Benevides Filho, responsável pelo programa econômico de Ciro, o primeiro eixo do governo será a recomposição fiscal do Brasil, afirmou em entrevista ao Broadcast Ao Vivo Interativo.

    Às 9h53, o DI para janeiro de 2020 estava a 8,12%, máxima, de 8,08% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 indicava 9,14%, máxima, de 9,11% no ajuste anterior. E o DI para janeiro de 2023 estava a 10,58%, ante 10,57% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista subia 0,18%, aos R$ 3,8520. O dólar futuro de agosto estava em alta de 0,34%, aos R$ 3,8580.

    Mais cedo foi conhecido o IPC-Fipe da segunda quadrissemana de julho, que subiu 0,37%, perdendo força em relação ao avanço de 0,63% da primeira quadrissemana do mês. Houve recuo com mais força em Despesas Pessoais. Além disso, subiram com menor intensidade os segmentos Alimentação, Transportes e Vestuário.