Banco Central zera projeção do PIB do Brasil em 2020

    O Banco Central (BC) zerou a sua projeção de crescimento da economia brasileira em 2020, que estava em 2,2%. A revisão foi divulgada nesta quinta-feira (26) no Relatório de Inflação da autoridade monetária e leva em conta os impactos da pandemia do coronavírus na atividade econômica.
    “O efeito contracionista da atual pandemia ensejou revisão da projeção de crescimento do PIB em 2020. Embora haja elevado grau de incerteza nessa projeção, ela foi revisada de 2,2%, publicada no Relatório de Inflação em dezembro, para estabilidade”, diz o Banco Central.

    A autoridade monetária admite, porém, que, além dos “impactos econômicos expressivos decorrentes da pandemia de COVID-19”, contribui com essa mudança os “resultados abaixo do esperado em indicadores econômicos no final de 2019 e início de 2020”. Afinal, o PIB do Brasil cresceu 1,1% em 2019 – desempenho considerado baixo pelo mercado, que influencia o crescimento da economia brasileira no primeiro trimestre de 2020.

    O BC também frisa, por sua vez, que o maior baque na atividade econômica deve acontecer no segundo trimestre, por conta da paralisação de diversos setores da economia brasileira, anunciada recentemente como uma forma de conter o pico de contágio do Covid-19.

    “Em termos de trajetória, a projeção para o PIB anual considera recuo acentuado do PIB no segundo trimestre, seguido de retorno relevante nos últimos dois trimestres do ano”, diz o BC no Relatório de Inflação, reforçando a perspectiva do governo de que essa pandemia será controlada ainda no primeiro semestre do ano.

    A nova projeção de crescimento econômico do Banco Central, é similar à a projeção oficial do governo, que foi reduzida de 2,1% para 0,02% na semana passada também em função do coronavírus. E está em linha com os números esperados por parte do mercado. No mercado, contudo, também já há muito analistas falando em um estrago maior e, por isso, prevendo PIBs negativos em 2020. As projeções vão de -0,5% a -4%.