Banco Central reduz teto de notificações para depósito em dinheiro vivo

    Hoje, as instituições financeiras precisam avisar o BC sobre os depósitos acima de R$ 10 mil, feitos em dinheiro. Com as mudanças, o teto para esse tipo de transação passa a ser de R$ 2 mil (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

    Dentre as ações promovidas pelo Banco Central (BC) para coibir prática dos crimes de lavagem de dinheiro ou ocultação de bens está a redução do valor de depósitos em dinheiro vivo, sem a necessidade de notificação. Hoje, as instituições financeiras precisam avisar o BC sobre os depósitos acima de R$ 10 mil, feitos em dinheiro.

    Com as mudanças, o teto para esse tipo de transação passa a ser de R$ 2 mil. As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) e começa a valer em 1º de julho de 2020.

    A iniciativa faz parte das regras relativas às Políticas de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo (PLDFT).  A partir de julho deste ano, segundo o BC, as instituições autorizadas deverão fazer avaliação interna de risco específica para o risco de lavagem de dinheiro, que deverá considerar os perfis de todos os seus clientes, da instituição, dos produtos e serviços e dos funcionários, parceiros e terceirizados, sem exceção.