Alta do dólar gera aumento de 31% nas buscas por destinos nacionais

    Ao contrário do que se poderia pensar, os turistas não estão deixando de viajar, mas mudando o perfil das viagens. Foto: Reprodução/Internet

    Preocupações com o cenário eleitoral brasileiro e o fortalecimento da economia dos Estados Unidos são algumas das causas da alta do dólar que vem acontecendo nos últimos seis meses. A moeda americana já ultrapassa a faixa dos R$ 4,17. Um levantamento do KAYAK, maior ferramenta de planejamento de viagens do mundo, revela que esse processo levou a um crescimento de 31% na procura por destinos nacionais desde abril e elenca os destinos que mais têm crescido em buscas – quase todos nacionais ou na América do Sul:

    Tradicional passeio náutico de Porto Alegre. Foto: Reprodução/Internet

    Fortaleza e Porto Alegre são os principais destaques nacionais, já que tiveram um crescimento muito alto para destinos que já tinham uma base consolidada de buscas – outras capitais, no entanto, não ficaram muito atrás. Bariloche e Santiago aparecem principalmente em função do turismo de inverno e temporada de esqui.

    Lisboa é o único destino fora da América do Sul a aparecer no levantamento – ainda assim, na última posição. Houve um “boom” de brasileiros na cidade no último ano, por uma série de fatores: a facilidade da língua comum, preços mais atraentes em relação a outros destinos na Europa e um forte investimento do turismo de Portugal para atrair turistas.

     

    Para quem está planejando uma viagem internacional de final de ano, a data ideal para a compra de passagens já começou: com três a quatro meses de antecedência é possível garantir uma economia de até 15% no preço das passagens.

     

    Metodologia

    A pesquisa foi feita no dia 06/09/2018 na base de dados do KAYAK por voos de ida e volta saindo do Brasil a todos os destinos no mundo. O tempo de busca considerado foi de 01/04/2018 a 01/09/2018, comparando com as buscas feitas no período de 01/01/2018 a 31/03/2018. O período de viagem considerado foi de 01/05/2018 a 31/12/2018, comparado com viagens entre 01/03/2018 a 31/07/2018.

    Fonte: Comex do Brasil