Timóteo terá mais dez leitos de UTI para tratamento de pacientes com Covid-19

foto: PMT

A gestão de 10 leitos de UTI no Hospital e Maternidade Vital Brazil, em Timóeto, passa a ser de responsabilidade da Organização Social de Saúde (OSS) Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ). O chamamento público que definiu a instituição para gerir os leitos de UTI no HMVB contou com a concorrência de três empresas. O contrato é de R$ 470.680,71/ mês por um período de 90 dias. A Assinatura do contrato PG 166/2020 entre o prefeito de Timóteo, Douglas Willkys, e a direção da OSS ocorreu nessa terça-feira (7).

De acordo com o diretor médico do HMTJ, Gustavo Campos, a partir de agora a instituição vai trabalhar para adaptar a UTI Neonatal/Pediátrica em UTI Adulta, como a aquisição de cabos específicos, equipamentos e insumos para a viabilizar a abertura desses leitos para atender exclusivamente pacientes acometidos com o novo coronavírus.

O Hospital Terezinha de Jesus é referência no enfrentamento a Covid-19 na região da Zona da Mata, que soma uma população superior a 1,5 milhão de habitantes. Naquela região está sob a responsabilidade da OSS a gestão de 120 leitos, sendo 100 clínicos e outros 20 de UTI. Os leitos serão regulados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) Fácil.

A partir da assinatura do contrato a OSS inicia-se o processo seletivo para a contratação de pessoal, que pode ser acessado em  http://hmtjfluig.dnsalias.com:8080/portal/1/ps_hmtj. A equipe que vai atender na UTI 24 horas, 7 dias por semana e contará com 15 médicos plantonistas nas diversas especialidades médicas como infectologista, nefrologista, neurologista, dentre outros, além de cerca de 40 colaboradores como enfermeiros, técnicos em enfermagem e pessoal da área administrativa.

“Estamos motivados para esse novo desafio. Conhecemos a demanda assistencial do Município e, somada a nossa expertise no enfrentamento da Covid-19, vamos desenvolver um trabalho focado no atendimento humanizado que é uma característica da nossa instrituição”, afirmou Gustavo Campos.

Para o secretário municipal de Saúde, Eduardo Morais, essa é mais uma etapa vencida da sentença judicial que prevê ao Município assumir a operacionalização dos 10 leitos de UTI Neonatal/Pediátrica do HMVB. “Assinamos o contrato com a instituição que já está fazendo as contratações dos profissionais e adaptações dos equipamentos, aquisição de insumos e materiais para tão logo colocar à disposição da população mais esses 10 leitos da UTI adulto não só para Timóteo, mas para todo o Vale do Aço”, disse Eduardo Morais.

Entenda o caso

Com o início da pandemia, em meados de março deste ano, foi elaborado um estudo demonstrando que a partir de adaptações e custo baixo seria viável transformar a UTI Neonatal/Pediátrica que está fechada no Hospital e Maternidade Vital Brazil em UTI Adulta. A Prefeitura de Timóteo, a Superintendência Regional de Saúde (SRS), o Ministério Público e a Aperam solicitaram que a Sociedade Beneficente São Camilo, mantenedora do HMVB, colocasse a UTI em operação, haja vista que os recursos para a manutenção da UTI estão garantidos pela Aperam e pela Prefeitura de Timóteo, mas a instituição não aceitou a missão.

O Ministério Público ajuizou uma nova Ação Civil Pública para que o Governo de Estado tivesse a imissão de posse (ato judicial que confere a posse de determinado bem) da UTI. Nesta nova ação o Município de Timóteo apresentou uma proposta de acordo assumindo a responsabilidade pela gestão dos leitos, sugestão que foi homologada pela Justiça. Em seguida foi feito um chamamento público que definiu a gestão desses leitos. Após o término da pandemia, a UTI voltará a operar como Neonatal/Pediátrica.