Caso suspeito de coronavírus é monitorado em BH

Foto: Erasmo Salomão / Ascom MS

Uma estudante, de 22 anos, que viajou para Wuhan, na China, foi atendida na UPA Centro Sul de Belo Horizonte, com alguns sintomas respiratórios e febre baixa, logo após chegar ao Brasil na sexta-feira (24). Nesta terça-feira (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que a paciente apresentou sintomas “compatíveis” com os da doença. Todas as 14 pessoas que tiveram contato com a estudante também estão sendo “monitoradas”.

Segunda a Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a jovem passa bem e foi transferida na noite de segunda-feira (27), para o Hospital Eduardo de Menezes (HEM) para ser acompanhada. O HEM é referência estadual para o atendimento de doenças infectocontagiosas, emergências em saúde pública e atenção aos agravos de interesse sanitário. Para esses casos é necessária resposta rápida e qualificada, com isolamento em área específica e monitoramento clínico cuidadoso e de resultados de exames.

A amostra da paciente já foi recolhida e alguns exames serão realizados na FUNED (Infuenza A e B, Adenovírus, Bocavírus, metapneumovírus, parainfluenza 1, parainfluenza 2, parainfluenza 3 e vírus sincicial respiratório). E os demais exames, incluindo o específico para Coronavírus serão realizados na Fiocruz.

Alerta regionais

A SES-MG informa que no dia 20 de janeiro, a Organização Pan Americana de Saúde (OPS) emitiu o Alerta Novo Corononavírus. De acordo com o documento, diante da situação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Panamericana de Saúde (OPS) orientam os Estados Membros a fortalecerem as atividades de vigilância para detectar qualquer evento incomum de saúde respiratória.

A SES-MG emitiu o alerta para as unidades regionais de saúde, que repassarão a orientação da OMS e da OPAS aos municípios mineiros.

Casos na China

O número de mortes causadas pela nova variante do coronavírus chegou a 106 depois que autoridades da província de Hubei anunciaram  24 mortes na manhã desta terça-feira (28). Autoridades de saúde da China afirmam que mais de 4 mil pessoas foram infectadas.

Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, conhecidos desde meados dos anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem. Segundo informações divulgadas pelo Centro de Controle de Doenças Americado – CDC e Organização Mundial da Saúde – WHO, as autoridades chinesas relataram que um novo coronavírus (nCoV) foi identificado no país. 

No dia 21 de janeiro de 2020 foi identificado o primeiro caso nos EUA. Também já foram identificados casos em outros países (Japão, Tailândia, Coreia do Sul), todos os casos identificados foram de pessoas que estiveram na região de transmissão.

próximo artigoContato com a água da chuva requer cuidados com a saúde
Artigo seguinteJogadores do Cruzeiro analisam dificuldades contra o Villa Nova como algo ‘normal’