Esta semana, vereadores de Ipatinga aprovaram projetos de lei que consideram como essenciais a prestação de serviços em academias de ginástica e musculação, salões de beleza e igrejas. A polêmica da vez é porque há uma deliberação estadual que trata do fechamento das academias e salões na vigência da onda roxa, medida mais restritiva do Minas Consciente durante o estágio de colapso no sistema de saúde. Para entrar em vigor, as novas leis ainda dependem da sanção do prefeito Gustavo Nunes. O ZUG entrevistou o advogado Jonair Cordeiro que repercutiu a aprovação das leis do ponto de vista jurídico e político.

próximo artigoSindcomércio Vale do Aço propõe redução salarial visando manutenção de empregos
Artigo seguinteQuase 40 pessoas aguardam por leito de UTI no Vale do Aço
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários